segunda-feira, 21 de junho de 2010

Deixa escrever-te, verde mar antigo, / Largo Oceano, velho deus limoso, /
Coração sempre lyrico, choroso, /E terno visionario, meu amigo!

.../.

In 'Claridades do Sul'

Sem comentários:

Publicar um comentário